• sac@festivaljpa.com.br
  • +55 (83) 3245-6856

Blog

Notícias e Novidades

Coral da Unipê supreendeu na abertura do 2º Festival do Turismo de João Pessoa

A programação cultural do 2º Festival do Turismo de João Pessoa agradou e surpreendeu nos dias 28 e 29 de setembro no Centro de Convenções de João Pessoa.\nAlém das festas temáticas com a Noite Paraibana e com a Noite Pernambucana com grupos folclóricos e o colorido Galo da Madrugada, um coral muito diferente integrou a programação cultural do evento.\nO Coral Universitário do Unipê regido pelo maestro João Alberto Gurgel, fez uma apresentação performática que surpreendeu os participantes da abertura do 2º Festival do Turismo de João Pessoa. Os integrantes vestidos com roupas normais, sem uniforme como os corais tradicionais, e integrados entre os agentes de viagens, expositores, imprensa e demais convidados da solenidade se passavam por pessoas da plateia até o momento da apresentação do grupo pelo mestre de cerimônias. O coral fez sua apresentação entre os participantes da solenidade e contagiou os presentes com músicas clássicas do pop nacional e internacional. \nO Coral Universitário do UNIPÊ foi fundado em 2001, numa iniciativa liderada pelo Reitor Marcos Augusto Trindade, com o intuito de oferecer mais uma opção de lazer, entretenimento e cultura dentro do Campus e no ambiente universitário. O grupo é formado por alunos oriundos dos mais diversos cursos do UNIPÊ que, musicalmente leigos - em sua maioria, encontraram na música do canto coral, um meio de unir suas perspectivas profissionais paralelamente ao prazer da harmonia, arte e socialização. Em seus componentes também se encontram membros do corpo docente do UNIPÊ, que juntamente com os alunos, fazem deste convívio musical a atmosfera cordial, bandeira que o UNIPÊ ergue com afinco. O repertório do grupo tem características extremamente ecléticas devido ao seu principal objetivo, que se resume em proporcionar lazer e entretenimento aos seus integrantes, cantando melodias dos mais diversos gêneros, mantendo sempre o equilíbrio entre o Erudito, o Popular e o Contemporâneo, o Formal e o Irreverente, porém, sem se descuidar do lado cultural peculiar ao Canto Coral.\n